Da Miséria Humana…

Ratos

Na Idade Média, o poder público perdeu o controle da peste de ratos que dizimou parte da população, mas teve gente que tirou proveito da situação…

Na Idade Média, na Europa, eclodiu uma epidemia de ratos que matava, por dia, dezenas de pessoas. O poder público, por negligência, não conseguia controlar o problema e fez um pacto com a população. Seria pago um valor X pela quantidade de ratos capturados. Quem trouxesse +, ganhava +. Logo, percebeu-se que, com o esquema, ao invés de diminuir, os ratos só aumentavam. Descobriu-se, então, que as pessoas estavam criando camundongos.

Esse episódio histórico ilustra a pobreza que é a miséria humana. Ou seja, uma realidade tão orgânica e natural como respirar e talvez um caso sem solução. Basta traçar paralelo com a atual situação do país em que empresários oportunistas, governo omisso e população egoísta, sem nenhum espírito coletivo, de solidariedade e bom senso, tiram proveito da crise dos combustíveis que assola o país de qualquer maneira. Perde todos!

É o jeitinho brasileiro de querer se dar bem a todo custo e à custa de todos. A mentalidade cultural da esperteza e malandragem. Da falta de altruísmo. Por isso que a humanidade é essa merda que aí está. O que faz qualquer um, com um pingo de juízo, perder a fé no ser humano e jogar as esperanças pela janela. O melhore mesmo seria se jogar da janela…

* Este texto foi escrito ao som de: Suicide (1977)

Suicide1977

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s