De Longe Te Observo (2015)

De Longe Te Observo 2

Vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza em 2015, esse drama venezuelano mostra a conflituosa relação entre homens na terra de Nicolás Maduro…

O olhar cru que perpassa a narrativa desse drama venezuelano lembra as produções pernambucanas que há tempos vem encantando o espectador brasileiro. Direto e certeiro no seu ponto de vista sobre a natureza humana, com tudo o que ela traz de pior, o filme conta a estranha relação entre um homem de meia idade pervertido e um jovem podre delinquente. Uma relação que surgirá do fosso que separa os dois mundos em que eles vivem.

Logo no início um desconforto. A cena desse velho obscuro se masturbando diante do corpo seminu de um jovem. A busca por esse fetiche bizarro irá acontecer mais vezes, até culminar num ato de violência. Mas mesmo assim, esse protético cinquentão não deixará de vagar pela periferia da capital venezuelana Caracas em busca de seu objeto de desejo, Elder, o sujeito violento que o machucou e o roubou. Ao fundo, cartazes de Nicolás Maduro pelos muros.

Aos poucos, esse contato que começou do atrito entre impulso e repulsa se estreitará por meio de afetos velados, sentimentos subtendidos e traumas em comuns que têm como elo a figura parte de ambos, que surge na trama de forma enigmática. Do inconsciente mais profundo surge o fantasma do inconsciente. “Você apanhava de seu pai?”, pergunta o jovem curioso. “Não”, responde vagamente Armando, que não se definiu sexualmente.

Vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza (2015), o filme do cineasta estreante Lorenzo Vigas é costurado de ideias e impressões vagas que norteiam essas jornadas incertas dentro de narrativa sem rodeios. Parece uma contradição, mas só vendo o filme, que metaforicamente mostra os personagens desfocados, para entender esse delicioso arranjo dramático conduzido por atuações hipnotizantes do ator chileno Alfredo Castro e do novato Luis Silva.

Há muito do diretor italiano Pier Paolo Pasolini nesse roteiro escrito a quatro mãos pelo diretor Vigas e o mexicano Guilermo Arriaga, parceiro de Alejandro González Iñarritu em filmes como 21 Gramas Babel. E a força da trama é potencializada ao externar essa relação entre homens num país marcado pelo machismo, preconceito e violência. Eu se fosse você ia ver essa fita, afinal, não é todo dia que tem um filme venezuelano dando sopa por aí…

…O final é arrebatador…

* Este texto foi escrito ao som de: Everything is everything (Donny Hathaway – 1970)

Donny Hathaway

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s