Os Pokébobos estão chegando…

Pokémon Go

A válvula de escape da garotada de hoje, não são livros ou filmes de qualidade, mas uma tela de celular onde aparece seres virtuais inatingíveis

Agora é febre mundial a galera sair por aí que nem bobo atrás de um bichinho virtual japonês feio pra dedel. O tal do Pokémon Go é uma bobagem ululante que me dá vergonha alheia e me leva àquela frase do Euclides da Cunha: “Ou evoluímos ou regredimos”. E no caso aqui a contradição é medonha, porque, quanto mais caminhamos para o futuro, mais nos desligamos do humano, do real e voltamos ao passado. Ou seja: Regredimos ao evoluir.

Sempre achei que vídeo game ou qualquer tipo de jogos virtuais deixa a pessoa meio debilóide, boboca. Talvez por isso mesmo, por ser uma espécie assim de debilóide às vessas, que não consigo me situar dentro de um joguinho de vídeo game. Não sei que botão apertar, quando sou eu que estou fazendo o movimento quando aperto o botão ou se estou ganhando ou perdendo num joguinho qualquer, seja ele o mais simples que for.

Mas enfim. O fato é que os jovens de hoje são reféns dos Iphones e Smartphones. Tudo o que eles fazem, seja no campo profissional, familiar ou afetivamente, tem a ver com um desses aparelhos na mão 24h por dia. Até parecem que são uma extensão do corpo, de tão presente que eles estão. Hoje em dia não há mais beijo molhado na boca, o calor da amada/amado esquentando o seu corpo ou qualquer outro tipo de carinho fraterno, materno, paterno, seja lá o que for.

Basta uma curtida com carinha de alegre soltando coraçãozinho ou flores, para que a pessoa se sinta feliz, satisfeita e realizada. Como disse o jornalista Fred Mello Paiva, outro dia, falando sobre o Facebook, uma curtida hoje tem o efeito de um orgasmo. E é isso. A válvula de escape da galera, a fuga do mundo moderno é uma bobagem nas telinhas de um celular ou de um computador que não conseguimos sentir.

Para mim, nada melhor do que fugir da realidade que me cerca hoje em dia que é esse mundo doente e vazio do que ler um bom livro, ouvir um bom disco ou assistir um bom filme. Às vezes não consigo, mas sempre que posso, tento incentivar minhas crianças nesse sentido. Agora mesmo, quando a pequena acordar, vou esconder o tablet dela nos quintos dos infernos e inventar uma brincadeira lúdica e saudável. Coisas do tipo, correr atrás de bola, pintar,

Pokémon Go uma ova!!!

* Este texto foi escrito ao som de: Força Bruta (Jorge Ben – 1970)

Força Bruta - 1970

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s