Jimi Hendrix – A Dramática História de Uma Lenda do Rock 2

Jimi Hendrix 4

O guitarrista norte-americano dando tudo de si nos palcos britânico, aqui em agosto de 1968. O artista começou a fazer sucesso na Inglaterra…

Jimi Hendrix teve uma carreira artística fulminante. Foram três anos meteóricos que lhe renderam fama eterna, o título de maior guitarrista de todos os tempos e uma fortuna milionária que ele não teve tempo de desfrutar. Na biografia A Dramática História de Uma Lenda do Rock, a jornalista Sharon Lawrence conta como o dinheiro que o seu legado proporcionou após sua morte, foi alvo de disputas judiciais e familiares imorais.

Mas essa parte, relatada exaustivamente no livro e, de certa forma, de maneira leviana pela autora, que foi grande amiga do artista, eu deixo para vocês lerem quando estiver com o livro em mãos. Vou relatar aqui neste post a ascensão do guitarrista rumo ao estrelato na Inglaterra, depois de ter uma vida de cão em Nova York.

Sua estrela começou a brilhar quando ele conheceu Chas Chandler, baixista do The Animals que estava prestes a deixar a banda e ganhar a vida como produtor e empresário musical. Quem deu a dica de que um guitarrista negro de “pernas compridas e cabelo castanho brilhante bem tratado” estava arrasando no Greenwich Village, foi a modelo britânica, Linda Keith. “Você deve ver Jimmy, ele é fabuloso!”, dizia ela para todo músico inglês que esbarrava.

Então Chas foi ao Café Wha?, depois dos Stones ficarem de queixo caído pelo guitarrista, e viu e ouviu com os próprios olhos que o cara realmente era alguém “muito especial”. A crença profunda no talento de seu futuro astro foi confirmada ao se deslumbrar com a versão bem pessoal de Jimi para a impactante, Hey Joe. Paradoxalmente, o artista iria estourar não em casa, nos EUA, mas na Inglaterra, de onde voltaria como o príncipe das guitarras para sempre.

“Somos sempre comparados um ao outro. E quando ele está por perto, temos de baixar a cabeça”, admitiu um humilde Eric Clapton, cujo nome era pinchado nos muros de Londres com os dizeres: God… “1967 foi o melhor ano da minha vida”, lembraria Hendrix, depois que arrebatar também os franceses e gravar o primeiro disco do The Experience Hendrix.

Uma parte legal do livro é quando a autora mostra a euforia causada pelas apresentações de Jimi por Londres, conquistando o carinho, respeito e admiração de todos os grandes artistas da Swinging London. “Hendrix é o artista mais excitante, sexy e sensual que já vi”, declarou Mick Jagger. “James, você é uma maravilha!”, diria um deslumbrado Paul McCartney, após tomar de assalto o camarim do artista no Bag O’Nails.

Dali para frente o artista seguiria numa vertiginosa corrida ao estrelato, fazendo pelo caminho delirantes viagens de ácido e cruzando com mal intencionados homens de negócios que aproveitavam de sua ingenuidade. E, apesar da fama, dinheiro e mulheres, Jimi Hendrix se queixava da profunda solidão e angústia que o cercavam, elementos que o conduziria ao seu trágico fim em 1970.

* Este texto foi escrito ao som de: Axis: Bold As Love (Jimi Hendrix – 1967)

AxisBoldAsLove

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s