Top 30 + algumas coisinhas…

Crosby Stills Nash

Na minha lista de 30 e alguns discos, canções que flertam que vão do folk ao britpop…

Daqui a 300 anos, quando alguém abrir uma capsula do tempo perdida no espaço sideral, numa galáxia muito distante, vai encontrar lá dentro, além de saudades furtivas, sentimentos confusos e muita frustração cristã, uma lista de discos que marcaram minha existência como eterno homem de cultura em crise existencial.

Trata-se de uma espécie de Jukebox sentimental com álbuns que, por motivos sensoriais pessoais diversos, eu recorro para me salvar, libertar, expurgar a mente, preencher os vazios de minha alma doente. São canções que preenchem o vazio de minha alma, que me fazem lembrar pessoas que amo e admiro, enfim, recordar de momentos felizes, tristes, difíceis pelos quais passei.

Porque canções são isso, ou seja, tem esse poder, que é o de cristalizar em nosso âmago, momentos, sensações e impressões. Assim como aquela mágica madeleine de Marcel Proust, alguns acordes nos faz viajar no tempo, no sinuoso caminho de nossas recordações. Saudade é uma canção melancólica dançando, vertiginosamente, dentro do meu peito.

Meu gosto transita entre o pop/rock, passando pelos bardos, folk e britpop… Com uma estranha obsessão entre 1968 e 1972…

Top 30 + algumas coisinhas:

 Elvis Presley (1956) – Foi quando essa história de música começou, um dia eu quis ter topete…

Help! – Beatles (1965) – O primeiro álbum do fab four que comprei, sei tocar no violão quase todas as faixas…

Pet Sound – Beach Boys (1966) – Os meninos da praia sendo melhores que os Beatles pelo menos por um disco…

Face to Face – The Kinks (1966) – A mais britânica de todas as bandas britânicas…

Sweetheart of the Rodeo (1968) – Uma mistura extasiante de Bob Dylan e Beatles…

Astral Weeks (1968) – Dá vontade de escrever um roteiro de filme só pra colocar canções desse disco…

Crosby, Stills & Nash (1969) – Ainda sem o Young, mas uma viagem hippie que não acabou…

The Band (1969) – Bob Dylan Dividido por cinco…

Nashville Skyline – Bob Dylan (1969) – Bob Dylan flertando com o country e… Voltando às raízes…

Five Leaves Left – Nick Drake (1969) – Seja melancólico, mas seja com estilo…

The Gilded Palace of Sin – The Flying Burritos (1969) – Onde todos os nossos pecados se encontram… Alguém duvida?

Blue – Joni Mitchell (1970) – Renato Russo tinha, uma das maiores poetas do rock

Mona Bone Jake – Cat Stevens (1970) – Meu grande ídolo depois dos Beatles… O disco em que Peter Gabriel toca flauta…

Vintage Violence – John Cale (1970) – Sobrevida após os Velvet Underground…

All Things Must Past – George Harrison (1970) – Para mim o melhor disco dos Beatles…

What’s Going On – Marvin Gaye (1971) – Quando descobri a Motown…

Led Zeppellin IV (1971) – Quando os deuses baixam sobre a Terra…

Who’s Next – The Who (1971) – Para ouvir quando estiver com raiva… Se sentindo meio Hooligan…

Aqualung – Jethro Tull (1971) – Menestréis do blues flertando com o rock progressivo…

# 1 Record – Big Star (1972) – Os Beatles dos anos 70…

Transformer – Lou Reed (1972) – Sobrevida após o Velvet Underground com uma pitada de cinismo e sarcasmo…

Honky Chateau – Elton John (1972) – Bob Dylan usando purpurina…

Exile on Main Street – The Rolling Stones (1972) – Mick Jagger e cia soand sujo como as ruas dos EUA…

The Rise and The Fall at Ziggy Stardust and The Spiders from Mars – David Bowie (1972) – Um homem do espaço entre nós…

# 10 – The Guess Who (1973) – O Canadá na música além de Leonard Cohen e Neil Young…

Dark side of the Moon – Pink Floyd (1973) – Quando descobri o rock progressivo…

Unknown Pleasures – Joy Divison (1979) – Poesia no punk…

Ocean Rain – Echo and The Bunnymen (1984) – Os Beatles nos anos 80…

Automatic for the People – R.E.M. (1992) – Os meninos de Athens soando britpop…

Parklife – Blur (1994) – The Kinks nos anos 90…

The Bends – Radiohead (1995)  – O britpop usando remédio tarja preta…

Tigermilk – Belle & Sebastian (1996) – Por o rock também é fofinho…

Do it Yourself – Seahorses (1997) – Um das melhores bandas de um álbum só…

Ágaetis Byrjun – Sigur Rós (1999) – Uma experiência sensorial impactante…

Standing on the Shoulder of Giants – Oasis (2000) – Os Beatles dos anos 90, aqui entre o pop rock e a psicodelia…

Parachutes – Coldplay  (2000) – Só pra lembrar que tenho coração…

Once We Were Trees Beachwood Sparks (2001) – 2001 – Uma psicodelia country no espaço musical…

Este texto foi escrito ao som de: The Gilded Palace of Sin – The Flying Burritos (1969)

Flying Burritos 3

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s