Sicario: Terra de ninguém

A bela Emily Blunt brilha entre marmanjos truculentos...

A bela Emily Blunt brilha entre marmanjos mercenários truculentos…

Se você não viu foi uma pena porque o violento, Sicario – Terra de ninguém, que estava em cartaz até pouco tempo, no Libert Mall, é um dos filmes mais realistas que já assisti sobre o drama do narcotráfico na fronteira entre os Estados Unidos e o México. Se não me engano, o último sobre esse tema que me impressionou de verdade foi Traffic (2000). Por sinal, também trazendo no elenco o charmoso ator porto-riquenho, Benicio Del Toro. Aqui ele é um informante colombiano que já esteve do outro lado do crime, mas agora topa ajudar a justiça em busca de vingança.

“Quem sabe sobre a engrenagem dos relógios? Por ora fique de olho nos ponteiros”, faz mistério diante da agente do FBI, Kate Macer (Emily Blunt), a única mulher do grupo e, ao que parece também a única com juízo e dotada de bom senso num grupo de mercenários do governo que empresta nome à fita. Entre eles o autoconfiante e arrogante, ?? (Josh Brolin em atuação contundente e impecável).

O roteiro de Taylor Sheridan, bem desenvolvido pelo diretor canadense, Denis Villeneuve (Os suspeitos), teve como fontes primárias as matérias que o irmão escrevia quando era repórter na Cidade do México e são horripilantes. Trazem histórias de corpos mutilados, conflito armado entre traficantes e policiais, enfim, um desconcertante e reinante clima de impunidade imperando entre os donos dos carteis. Homens poderosíssimos que fazem de tudo para manter o poder e a circulação do dinheiro sujo que vem das drogas. Uma realidade bem parecida com a que vemos nos morros e favelas do Brasil, mas com um grau de violência maior. A cena inicial do filme, que se passa no Arizona, é de fazer vomitar. Assim como a sequência do tiroteio entre bandidos e policiais entre civis, na fronteira entre o México e os Estados Unidos.

“Fique de olho nos policiais, nem sempre são os mocinhos”, ensina o personagem de Benicio Del Toro.

Ah, sim, e embora os homens tomem conta do enredo em Sicario, é a ótima atriz britânica Emily Blunt quem domina a narrativa, mesmo que no clichê da policial fragilizada diante da situação. Mas é daí, se no final é ela quem sai com a moral intacta. E só porque ela é a única mocinha da fita.

* Este texto foi escrito ao som de: The gilded palace of sin (The Flying Burrito Brothers – 1969)

Flying Burritos 2

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s