Ernesto Silva – O “pioneiro do antes”

O servidor nos anos 50, dando uma palestra sobre a construção de Brasília

O servidor nos anos 50, dando uma palestra sobre a construção de Brasília

Antes mesmo de Juscelino Kubistchek e seus ilustres assessores colocar os pés onde seria a nova capital do país, um homem pequeno, mas com persistência e dedicação de um gigante já havia deixado suas pegadas por aqui. O nome dele? Ernesto Silva! Mas quem foi Ernesto Silva, afinal? Bem, Militar e médico, esse ilustre pioneiro de Brasília, “pioneiro do antes”, como bem destacou outro veterano das pradarias candangas, o coronel Affonso Heliodoro – Importante assessor e amigo pessoal de JK – Ernesto Silva era carioca de Vila Isabel, nascido em 17 de setembro de 1914. Formado em ciências e letras em 1933, tornou-se oficial do Exército três anos depois, chegando ao posto de coronel. Em 1946 realizou o sonho de ser pediatra, ao se formar médico pela Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro. Embalou nos braços as primeiras gerações de Brasília.

Durante a construção de Brasília realizou notável trabalho na área administrativa, ocupando diversas funções, realizando atividades ligadas às áreas de saúde, urbanização e cultura no Distrito Federal. Foi Ernesto Silva quem assinou o Edital do Concurso do Plano Piloto vencido pelo arquiteto e urbanista Lúcio Costa.

Entre os seus feitos nos anos seminais de Brasília estão a criação da Fundação Hospitalar do Distrito Federal e construção do Hospital de Base, na época chamado de Hospital Distrital de Brasília (HDB). É autor de sete livros, destaques para o “Plano Educacional e Plano de Saúde do DF” e a “História de Brasília”, publicado em 1970.

Ernesto Silva também participou da fundação do Rotary Clube de Brasília, do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal, da Academia Brasiliense de Letras e da Aliança Francesa de Brasília, espaço que presidiu desde seu surgimento, em 1972, até seu falecimento, em fevereiro de 2010.

Honesto, também era dono de um caráter singular. Outro dia sua viúva estava me contando que quando ele estava distribuindo os terrenos para a construção das embaixadas, os americanos, espertos como sempre, foram os primeiros a reivindicar o melhor pedaço da cidade para tal empreitada. Baixinho invocado que era, não deu o braço a torcer e atendeu primeiro os portugueses, nossos irmãos.

Apaixonado por Brasília, Ernesto Silva viveu modestamente seus últimos dias num apartamento da Asa Sul, protegido pelas sombra das árvores que ajudou a plantar.

* Este texto foi escrito ao som de: In my life (George Martin – 1998)

George_Martin_-_In_My_Life

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s