Patrulha da madrugada (1938)

David Niven, Errol Flyyn e Basil Rathbone em drama sobre a 1ª Guerra Mundial

David Niven, Errol Flyyn e Basil Rathbone em drama sobre a 1ª Guerra Mundial

Errol Flynn foi um dos maiores galãs de sua época, mas naqueles anos seminais de glória em Hollywood, ele tinha que competir com ninguém menos do que Charlie Chaplin, que estava longe de ser um Apolo da beleza. Mas já era o maior palhaço de todos os tempos, o que ofuscava qualquer brilho em ascensão em qualquer categoria. Mas nada disso atrapalhou a amizade entre os dois artistas, que jogavam tênis uma semana sim e outra não, e estavam sempre metidos em festinhas de orgia e outras coisas mais.

Australiano de nascimento, Flynn brilhou na América em filmes de aventuras como o militar, Patrulha da Madrugada (1938), que vi outro dia emprestado de um amigo. A trama se passa na 1ª Guerra Mundial e gira em torno de aviadores ousados e talentosos que têm que ensinar a nova geração de pilotos dos perigos de enfrentar o inimigo no céu. Muitos deles estão indo à caça e não voltam, vítimas de suas inexperiências. A situação é um desespero para o austero Major Brand (Basil Rathbone), que tem no seu encalço o valente, mas indisciplinado herói do esquadrão, Capitão Courtney (Errol Flynn).

“O homem é um animal selvagem que, por períodos, alivia sua tensão, tentando se destruir”, ensina ele a um dos novatos dos ares.

Embora as cenas de confronto aéreo sejam bem mixurucas, diante dos parcos recursos de efeitos especiais da época, passa credibilidade. Assim como a tensão entre a amizade de dois aviadores – Errol Flynn e David Niven – que se veem em conflito por conta de ordens superiores. Agora um deles terá que arriscar a vida para salvar todos. Legal a premissa da moral e decência humana que norteia os momentos finais da fita, totalmente pertinente e completamente em desuso nos dias de hoje.

Para os fãs de Sherlock Holmes e aquele que talvez tenha sido o melhor ator que deu vida ao personagem de Sir Conan Doyle, a chance de ver o ator Basil Rathbone num papel diferente.

* Este texto foi escrito ao som de: Seal Hits (2009)

Seal Hits

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s