Aliyah (2012)

O tema do emigrante judeu é o enredo desse drama em cartaz no Libert Mall

O tema do emigrante judeu é o enredo desse drama em cartaz no Libert Mall

Alex é um judeu desajustado na vida. Perdeu a mãe, o pai não quer saber dele e o irmão mais velho só quer saber de usurpar seu dinheiro para pagar dívidas. Desempregado, para se sustentar trafica nas noites de Paris até receber uma proposta moralmente decente. Ir para Tel Aviv, Israel, ser sócio de um primo honesto e trabalhador. Ele aceita, mas para a parceria precisar cruzar um périplo de desafios. Primeiro juntar $ 15 mil Euros, depois provar que tem origem judaica e nenhuma ficha criminal.

Uma das atrações do Festival de Cannes de 2012, Aliyah é o longa-metragem de estreia de Elie Wajeman e sabe-se lá porque chega com três anos por aqui. Estrelado pelo galã francês Pio Marmaï, fala de superações pessoais que resvala em feridas deixadas por uma família em conflito moral e afetivo, mas também de resgate às origens. Daí o significado do título que em hebraico quer dizer “ascensão”, palavra que significa a emigração do povo de deus para Israel.

“Talvez porque eu seja um fracasso como este país”, diz ele reclamando da França. “Vou embora porque ninguém me pediu para ficar”, dramatiza para a namorada que acabou de arranjar, vivida pela bela Adèle Haenel.

O final é propositalmente abrupto e sutilmente reflexivo. Tão sutil que passa a impressão de que não quer dizer nada. Mas diz muito.

* Este texto foi escrito ao som de: The Soul Album (Otis Redding – 1966)

The Soul Album

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s