Meus heróis da Liga da Justiça

Além do Batman, Aquaman, Laterna-verde e Homem-águia foram os heróis da minha infância

Aquaman, Laterna-verde e Homem-águia foram os heróis da minha infância

Manuel é um garotinho de cinco anos que minha sobrinha da mesma idade conheceu neste fim de semana em Goiânia. Ele é, digamos assim, um grande fã do Homem-aranha e conhece todos os super-heróis da Liga da Justiça. Gosta muito do Batman, mais teceu elogios, dentro de sua onomatopeia infantil, sobre o Aquaman, The Flash e claro, o Superman.

Impressionante como essa garotada de hoje, sobretudo, os meninos, já cresce apegada a heróis com poderes mutantes e tudo o mais. Minha sobrinha ficou encantada e impressionada com a quantidade de nomes citados por ele e logo lá estava eu explicando quem era quem nessa história dos quadrinhos que marcaram minha infância.

Expliquei a ela que meu herói de infância preferido sempre foi o Batman, com sua persona soturna e enigmática e que eu tinha um carinho especial pelos “coadjuvantes” que segue na lista abaixo. Entendam a razão.

 

Aquaman – Criado nos anos 40 pela dupla, Paul Norris e Mort Weisenger, a figura nórdica do rei de Atlantis Aquaman sempre me fascinou. Não sei se por causa dos cabelos loiros ou a cor laranja de sua camisa, uma das minhas preferidas, enfim, sua habilidade e poderes desenvolvidos no fundo do mar, como telepatia com os animais aquáticos. Acho que minha paixão e respeito pelo mar e sua imponência despertou todo esse interesse pelo soberano dos mares.

Lanterna-verde – Acho que o único super-herói capaz de enfrentar o Superman de igual para igual era o Lanterna-verde e tudo por causa de seu poderoso anel que era capaz de materializar qualquer objeto, inclusive a criptônima, pedra capaz de neutralizar os poderes do homem de aço. Fascinava-me o duelo de gigante entre esses dois mutantes vindos de planetas diferentes.

Homem-Águia – Também conhecido como Gavião Negro, esse herói sempre me remeteu às figuras mitológicas aladas gregas com sua imagem imponente. Uma criação da dupla Gardner Fox e Dennis Neville é a persona do arqueólogo Carter Hall, que durante uma expedição à tumba de um príncipe egípcio, encontra um cinturão mágico que lhe dá poderes inerentes ao universo dos pássaros como visão telescópica e comunicação com esses animais.

* Este texto foi escrito ao som de: Trout mask replica (Captain Beefheart – 1969)

Beefheart

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s