Grandes astros do cinema – Jack Nicholson

O ator em uma das cenas mais icônicas do cinema, cortesia do mestre Stanley Kubrick

O ator em uma das cenas mais icônicas do cinema, cortesia do mestre Stanley Kubrick

Não há como não se apaixonar por aquela cara cínica de Jack Nicholson, que sempre vem acompanhada de uma risada sinistra e insana. Mas todos esses detalhes de nada adiantariam se não fossem suas sobrancelhas arqueadas maliciosamente. E deve ter sido justamente essa expressão-símbolo que ele fez quando saíram por aí que o astro de 78 anos estaria sofrendo de estado avançado de Mal de Alzheimer.

Verdade ou não, o fato é que ele, bem ao seu estilo, deixou todo mundo com a pulga atrás da orelha quando lançou, recentemente, um vídeo tirando sarro pelo fato de Jared Leto ter sido escolhido para fazer o papel de O Coringa. Isso porque nós, e até ele sabemos, que o Coringa de Jack Nicholson é imbatível.

Nascido em Nova York, em 1937, Nicholson cresceu achando que os avós maternos eram seus verdadeiros país, já que a mãe, que se passava por sua irmã mais velha, não queria que o pai verdadeiro do ator, então um homem casado, o criasse. A carreira como ator teve início ao lado do mestre dos filmes de terror B, Roger Corman, quem lhe deu papéis de destaques em fitas como A pequena loja de horrores (Little shop of horrors/1960).

O reconhecimento como ator viria com o road movie viajadão, Sem destino (Easy rider/1969), filme da dupla Peter Fonda e Dennis Hopper em que ele também colabora como co-roteirista. Depois de sucessos como A última missão (The Last detail/1973) e Chinatown (1974), a consagração com o Oscar de Melhor Ator pelo dramático, Um estranho no ninho (One flew over the Cuckoo’s nest/1975). Ao receber o prêmio, Jack Nicholson lembrou que seu agente nos anos 60 chegou a aconselhar a desistir da carreira de ator. A nossa sorte é que as pessoas medíocres sempre estão erradas.

Top five – Jack NicholsonEstranho no ninho

Chinatown (1974) – Nessa perfeita recriação de Roman Polanski do clima noir dos filmes de gangsters ele é o detetive J.J. Gittes, que acaba se envolvendo numa complicada trama de corrupção e assassinato. O ator mostra que tem talento de sobra mesmo aparecendo metade da fita com um esparadrapo na cara.

Um estranho no ninho (One flew over the Cuckoo’s nest – 1975) – Filme de Milos Forman vencedor de cinco Oscars, incluindo Melhor Ator para Nicholson, é a história da opressão do sistema minimizado no ambiente de um hospício. Aqui ele é um criminoso que tenta driblar as atrocidades institucionais do lugar, até se ver vencido.

Profissão: Repórter (Profissione: repórter/The passenger – 1974) – Filme do mestre Michelangelo Antonioni que discute o tema da identidade, traz o ator na pele de um jornalista inglês que se passa por um traficante de armas em pleno deserto africano. Um dos melhores papéis de Jack Nicholson.

O iluminado (The shining – 1980) – Sem o desempenho marcante e inesquecível de Nicholson, um perturbado escritor em crise criativa, essa pequena fábula de humor negro de Stanley Kubrick baseada em obra de Stephen King nada seria. A sequência de seu rosto demente quebrando a porta a machada está entre as mais emblemáticas do cinema.

Laços de ternura (Terms of endearment – 1984) – Vencedor do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, Nicholson vive aqui um astronauta cinquentão extrovertido e de bem com a vida que tenta dar um novo sentido à vida de viúva amarga e controladora (Shirley MacLaine).

* Este texto foi escrito ao som de: Guillherme Arantes (1979)

Guilherme Arantes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s