O centauro sertanejo de Brasília

Vladimir Carvalho (dir.) e o irmão Walter, a cria e o criador fazendo cinema nos anos 70

Vladimir Carvalho (dir.) e o irmão Walter, a cria e o criador fazendo cinema nos anos 70

Os 80 anos do velho conterrâneo de guerra Vladimir Carvalho estão sendo comemorados com a abertura de mostra no CCBB até o dia 11 de maio. Imperdível mesmo até para quem já tenha visto a maioria de seus filmes e, mesmo assim, como suas saborosas histórias que ele conta, são muitos. Eu mesmo quero ver alguns curtas-metragens realizados pelo mestre que nem sabia que existiam. Vladimir Carvalho é assim, uma árvore frondosa de raízes inesgotáveis.

E como foi dito ontem no debate realizado após a sessão dos filmes Vestibular 70 e Brasília segundo Feldman, é importante revisitar a carreira desse grande realizador porque ele foi um dos pioneiros em Brasília. Pioneiro que aqui veio, gostou e ficou. Isso foi há mais de 40 anos atrás, quando foi convidado a implantar um núcleo de documentário na UnB e nunca mais foi embora. Sorte nossa.

“Acabei me perdendo aqui e nunca mais fui embora”, conta. “Minha relação com a cidade é de amor e ódio”, diz, sem medo de recorrer ao clichê.

Sorte nossa porque Vladimir fez escola em Brasília. Hoje muitos que começaram a fazer cinema na cidade hoje são cineastas ou professores de cinema. Sim, porque além de cineasta, um dos grandes, Vladimir foi professor, daí o título mais do que merecido de mestre. Gente como o professor Mauro Giuntini e o cineasta Iberê Carvalho começaram com ele.

Homem de sertão, aos 8 anos Vladimir deixou sua cidade Itabaiana para viver em Recife. “Aquilo era um mundo”, recorda com olhos marejados.Home de areia

Lá, amalgamou influências literárias, musicais e cinematográficas a partir de marcantes experiências culturais que vivenciou. Até teatro fez. E isso eu não sabia e isso é que é gostoso em Vladimir Carvalho. A cada encontro, a cada conversa, uma novidade.

Apesar de tudo, Vladimir nunca abandou o homem do sertão que existe dentro de si até hoje. E é esse homem do sertão, meio homem, meio cavalo, um autêntico centauro do cinema, que vemos em seus filmes. Ele pode falar sobre o escritor José Lins Rêgo – uma de suas obsessões, por sinal -, sobre o massacre de operários e professores durante o regime militar, sobre o rock de Brasília, enfim, lá estará sempre o homem do sertão.

“É algo que está no meu sangue”, comenta.

Há muito o que apreender com Vladimir. Tanto do ponto de vista do cinema, quando do ponto de vista do homem, do humano. É um sujeito de uma generosidade ímpar, singular, diria que comovente. E a humildade do velho companheiro de guerra Vladimir é sincera, justa. Escrevo isso com olhos marejados.

Já o homem-cinema, parafraseando Euclides da Cunha, o que posso dizer é que Vladimir Carvalho é antes de tudo um forte. Começou a fazer cinema com uma câmera Super 8, revelando filmes em 16 mm, e hoje se vira e muito bem fazendo seus projetos em digital, embora, claro, ainda ache que a película é a melhor forma de se fazer e ver um filme.

Filmes. E quais filmes do velho Vladimir posso recomendar aqui? Todos, ora bolas!! Inclusive o que eu não vi. Sobretudo os trabalhos seminais como Romeiros da guia (1962), Incelência para um trem de ferro (1972), e Itinerário de Niemeyer (1973).

Com curadoria de Sérgio Moriconi, a mostra Vladimir Carvalho Doc 8.0 apresenta ainda aqueles projetos em que o diretor participou e que se confunde com a história do cinema nacional como a guerrilheira fita, Cabra marcado para morrer, de Eduardo Coutinho, Opinião pública, de Arnaldo Jabor e Um olhar solidário, realização do irmão Walter Carvalho.

E falando do diretor de fotografia Walter Carvalho, certa vez este disse que é o que é hoje graças ao irmão Valter Carvalho, que um dia lhe apresentou Bob Dylan e João Cabral de Melo Neto. O cinema de Vladimir Carvalho é isso. Um pouco Dylan e um pouco a poesia cortante de João Cabral de Melo Neto.

* Este texto foi escrito ao som de: Empire (Kasabian – 2006)

Kasabian - Empire

Anúncios

2 comentários sobre “O centauro sertanejo de Brasília

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s