Os Boxtrolls (2014)

Uma animação sombria que mostra que o feio também pode ser belo...

Uma animação sombria que mostra que o feio também pode ser belo…

Então encerro minha semana das crianças com a animação Os boxtrolls, em cartaz em todo o país. Confesso que levei minhas sobrinhas para assisti, ontem, sem muitas expectativas e conhecimento sobre a fita e nos surpreendemos. Achei o nome esquisito, mas tinha visto o trailer não sei onde e me amarrei. Baseado no livro A gente é monstro, de Alan Snow, o desenho animado narra a história de uma cidade onde o submundo é infestado de caixatrolls, criaturinhas que assaltam a noite de Pontequeijo para roubar criancinhas e queijos. Pelo menos é a lenda que corre há anos pelo lugar.

“Onde estão os rios de sangue e as montanhas de ossos? Vocês podem me comer, tenho certeza que sou deliciosa”, se decepciona a mimada pirralha, Winnie, filha do prefeito, ao cair na caverna dos adoráveis monstrinhos e descobri que entre eles, vive um menino que acredita ser também um caixatroll. Por isso ele anda, para cima e para baixo, enfiado dentro de uma caixa de ovos. “O que é um pai?”, assusta o jovem, ao se dar conta de que não tem um.

The BoxtrollsÉ quando descobri que, no passado, ele tinha um pai que lhe entregou a adoção aos caixatrolls para lhe proteger de homens ambiciosos. Um pai de bom coração que olhava para todas as criaturas da terra como se fossem iguais, daí seu carinho pelas horrendas criaturas do submundo.  “As pessoas são más e egoístas”, lamenta o jovem adotado, quando tenta se aproximar dos humanos para estabelecer a paz entre os seres humanos e os caixatrolls, desmistificando que eles são comedores de crianças.

Que o filme causa estranheza às crianças num primeiro momento isso é fato. Com os olhos e neurônios acostumados a entender que o bem nos desenhos animados, há tempos, é personificado por belas princesas, fadas e doces criaturas da natureza, fica difícil de aceitar que aquelas horrendas criaturas metidas em caixas de papelão são boas de coração e alma. Mas aí é que mora a bela mensagem da fita, ou seja, que o feio também pode ser belo. Enfim, o feio não é defeito.

Nas entrelinhas a animação Os boxtrolls, traz outras mensagens pertinentes ao nosso dia a dia, como o distanciamento dos pais diante da realidade, necessidade e urgência afetiva das crianças, que às vezes, mais do que brinquedos, só querem atenção. “Agora, não!”, é o bordão do ocupadíssimo prefeito à filha Winnie, todas às vezes que ela lhe procura.

Animação em 3D realizada com técnica de Stop motion, a exemplo de outras produções do estúdio Laika como Coraline e o mundo secreto, Os boxtrolls traz cores e fotografias sombrias. Mas para a garotada acostumada com surpresas como Monsters High, elas tiram de letra o visual dessa divertida aventura.

* Este texto foi escrito ao som de: Geraes (Milton Nascimento – 1976)

Geraes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s