Brasil S/A (2014)

Filme faz uma alegoria de nossa mentira desenvolvimentista

Filme faz uma alegoria irônica de nossa mentira desenvolvimentista

De todos os filmes exibidos na Mostra Competitiva do Festival de Brasília, o pernambucano Brasil S/A é o que mais dialoga com a proposta autoral do evento que terminou ontem, no Cine Brasília. Dirigido por Marcelo Pedroso, o filme, como o próprio diretor gosta de frisar, faz uma leitura sobre esse ideal de progresso que ronda o imaginário da população brasileira. Uma leitura adornada por imagens impactantes e ironia desconcertante.

De uma beleza visual impressionante, Brasil S/A não traz diálogos. As imagens falam por si só e ferem aos olhos mais do que as palavras aos ouvidos. Posso estar falando bobagem, mas a estética lembra alguns trabalhos do Tarkoviski, mas também o deslumbramento das peças publicitárias.

Na trama, a trajetória do cortador de cana Edilson (Edilson Silva), que vê suas chances de trabalho ruídas com a chegada das máquinas, do futuro opressor em seu horizonte. Eis que entre a novidade chega uma oportunidade e ele tem a chance de deixar o campo e se engajar numa missão espacial que será um pequeno passo para ele, mas um enorme salto para o Brasil. Para Pedroso, que estreia aqui em seu primeiro longa-metragem de ficção, os personagens e situações surgem em cena como arquétipos alegóricos.47 Festival de Brasília

E dessa simbologia crítica, mostra que o passado de Edilson representa a fase agrícola e arcaica do país e a missão de sangrar o espaço o desejo de conquista de outra posição social. Ou seja, a mania de grandeza de um país em desenvolvimento de se tornar um país do futuro, um “Gigante pela própria natureza”.

Divididos em blocos, dentro desse contexto crítico Brasil S/A, que abiscoitou vários prêmios técnicos na noite de ontem, além do prêmio de melhor direção para Marcelo Pedroso, traz uma sinfonia de imagens elegantes e irônicas.

Uma delas é de uma moradora de classe alta patricinha que não suporta ver seu carrão da hora preso no congestionamento massacrante das grandes metrópoles. A alternativa é contratar um serviço de cegonhas que a faz flanar, livre, leve e solta, com sua roupinha de oncinha-perua pela tranquilidade das vias.

Tudo o que, aparentemente, o governo do PT nesses último ano é…

* Este texto foi escrito ao som de: This was (Jethro Tull – 1968)

This way

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s