2014 – Um ano atípico no Brasil

Primeiro você escolhe um malandro para te governar, depois esquece tudo na Copa

Primeiro você escolhe um malandro para te governar, depois esquece tudo na Copa

Pois bem, agora que essa frescura toda de confraternização e Ano Novo passou, vamos ao que interessa. E o que está pegando meu chapa é que este ano só tem bomba no horizonte: Copa do Mundo e Ano de Eleições. Quer coisa pior? O que faz de 2014, desde já, um ano totalmente atípico e para pior. Sim, porque o lance vai funcionar assim. Primeiro você leva ferro no rabo até dizer chega, escolhendo um vagabundo que vai te roubar por quatro anos, e depois sai sorrindo como uma lagartixa autista de parede achando que vai levar o caneco no mundial. Ou seja, é a velha, crassa e hedionda política do pão e circo. Prática tão milenar quanto fazer vinho ou rezar para Jesus.

Não sei você, mas dessa vez não vou votar em ninguém. Em ninguém mesmo. Nem nos tiriricas de casaca. Cansei de ser passado para trás por gente que só se dá bem às custas da ingenuidade e boa vontade dos outros. E político você sabe como é, né? Tirando um ou outro, a maioria não presta. Como diz o clichê, são todos farinha do mesmo saco. E aconselho que você e o seu vizinho, enfim, o país inteiro faça o mesmo, um boicote geral, ninguém votando em ninguém e daí a coisa ia ficar preta. Ou o melhor, ia fica joia.

Já Copa do Mundo no Brasil é uma piada. Se tivesse tudo ok por aqui: saúde, educação e segurança. Enfim, se neguinho não tivesse decapitando cabeça de outro nos presídios da vida, político não tivesse roubando, nem corrupção rolando daí sim, podia fazer a festa que fosse, a baderna que quisesse, mas do jeito que está não rola. É covardia com a alegria do povo. Sou da ideia de que só país decente, Urnassocialmente, falando, tivesse o direito de promover eventos caros como a Copa do Mundo.

E quer saber? Eu quero mais que a seleção brasileira perca na primeira rodada. Não quero saber dessa porcaria de neguinho fazendo algazarra com o meu dinheiro. Ah isso não. Até porque quem vai pagar a conta no final somos nós mesmos. Não tenho a ilusão de que um troféu de merda vá mudar minha vida para melhor.

E mais. Tenho aqui para mim que vamos passar vergonha diante do mundo todo. Um mico atrás do outro. Para começar a esculhambação nesse caótico de Brasília com confusão do Aeroporto até o Setor Hoteleiro. E nem quero pensar nos estádios. Outro dia vi uma charge inteligente e perturbadora. Mostrava os jogadores entrando em campo e os operários ainda trabalhando duro para terminar um desses colossos de concreto. Espero que não caia nada na cabeça de ninguém. Por isso que vou ficar quieto em casa e nem vou ligar a televisão. Aquilo que os olhos não veem o coração não senti.

Mas sabe o que é mais triste de tudo? É que esse governo cretino que aí está vai tentar tirar proveito da situação como se tudo tivesse às mil maravilhas e no dia seguinte ninguém vai se lembrar de mais nada. É, tudo indica que 2014 será realmente um ano atípico.

* Este texto foi escrito ao som de: The gilded palace of sin (The Flying Burritos Brothers – 1969)

Flying Burritos

Anúncios

2 comentários sobre “2014 – Um ano atípico no Brasil

  1. Oi Lúcio! Acabei de chegar até o seu blog e to achando simplesmente incrível. Cheguei até aqui pelo post “mudei de analista e nada”, provavelmente por meio de uma busca aleatória no google – e também porque, aparentemente, vc não foi o único a passar pela experiência. Li depois um post sobre uma visita sua a Belém e gostei um pouco menos, por motivos óbvios. haha Mas, sem rancores, podemos trocar contatos ? 🙂

    Feliz ano novo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s