Cansei de ser selfie!

Nunca o pai da psicanálise esteve tão atual, Caravaggio que o diga...

Nunca o pai da psicanálise esteve tão atual, Caravaggio que o diga…

O que diabo é isso?! Ora, Freud explica. Sim, porque um de seus textos mais famosos, Introdução ao narcisismo, completa por esses dias um século de vida. E, em tempos de exposição gratuita e banal nas redes sociais, com o mero intuito de se promover, forçando a amizade, suas ideias não poderiam ser mais do que atuais. Bem, andei lendo sobre o assunto e confesso que não entendi patavina essa conversa sobre narcisismo primário e narcisismo secundário. Mas não tem problema, psicanálise não é um troço fácil mesmo. E pensar que eu escolhi o curso de psicologia como segunda opção na faculdade…

Fazer o quê. O que importa é que, pegando como premissa o pai da psicanálise, que nunca esteve tão em voga, cansei de ser selfie. E a gravidade do caso ainda maior quando percebo que sofria disso e não sabia, pelo menos não dava conta do fato. Eu e a torcida do Flamengo.  E o problema é que, sendo bem sincero? Nunca tive vocação para selfie, não de plena e sã consciência. Se eu agia o ajo como tal, era e é de forma inconsciente ou contaminado por esse oba oba da turma do “quero mais é ser feliz na vida”. E de mais a mais, nem sabia que essa doença virtual existia, se pegava ou se doía. E logo eu, que estou tentando desenvolver um estilo de vida que não precise, necessariamente, da minha existência.

Portanto meu caro cansei de ser selfie e não vou mais ficar me expondo de graça por aí nas redes sociais todo arreganhado com um sorriso de plástico como se estivesse tudo bem, tudo ok porque não está nada bem, nada ok. Sim, porque, ao menos que você seja autista ou um debilóide completo, o facebook ou qualquer outro aplicativo das redes sociais nada mais é isso. Ou seja, uma maquiagem na realidade, um lugar onde damos uma lustrada no ego como se estivéssemos diante de milhares de espelhos. E que espelho é esse, brother? Os olhos do outro que passa a ser a nossa existência, nos fazendo um ser completamente fake. Resumindo, hoje em dia, com as redes sociais, só existimos por causa dos outros. Eu mesmo sou uma prova disso escrevendo e postando textos Selfieque ninguém ler.

“Sem uma pequena dose de narcisismo, você não sai nem de casa”, disse outro dia o psicanalista Felipe Pena, numa reportagem na Globo News, sobre o assunto. “Sem ímpeto não se chupa nem um chica bon”, teria dito certa vez o mestre Nelson Rodrigues.

Pode até ser, mas vaidade em excesso dá câncer. Pelo menos no ego dos outros. O filósofo existencialista Jean-Paul Sartre é quem tinha toda razão quando disse que “o inferno são os outros”. Sim, porque ninguém tem saco suficiente para ficar alimentando o narcisismo alheio. Ao menos que esteja de quatro por aquela pessoa. E, de um modo geral, as coisas não andam nada bem quando se percebe que a garota que você está saindo não tem nada ver com a atriz do filme que acabou de ver.

Outro dia um cara disse com uma cara de tédio bíblico que até poderia viver sem a mãe, mas jamais sem o facebook. Que pena dessa pessoa viu, que fica assim o dia inteiro, estático, meio abobalhado, como um sujeito sem alma, em frente à tela do computador. Quando ouvi isso, quase tive um faniquito bem ali, com vontade de sapatear como uma bailarina espanhola.

Enfim, acredite, o mundo seria um lugar bem melhor sem políticos, sem dinheiro e sem o facebook. Com certeza já entrei em contradição escrevendo esse mote de bobagem agora, mas tudo bem. O homem do mundo moderno, o homem do futuro é o símbolo da contradição.

* Este texto foi escrito ao som de: The Who Sell Out (The Who – 1967)

The Who Sell Out

Anúncios

5 comentários sobre “Cansei de ser selfie!

  1. Gostei deste seu texto, já te acompanho há um tempo, pelo Feedly. Agora que vi que vc está no WordPress também. O problema maior é perder contato com algumas (muitas) pessoas que (ainda) são interessantes e que só encontramos quase que apenas no Facebook. Mas eu também já me sinto cansada, tanto que nem acompanho mais o feed, pouca coisa.

  2. Caro Lucio, você não é um exemplo de existir por causa dos outros, tão descarado como quem tem, ou defende o FACEchatoBOOK. O que você escreve não é pra ninguém ler, sempre alguém lê. Caso uma pessoa leia um bom pensamento e opinião, já valeu à pena, mesmo que esta opinião e pensamento sejam discordantes. No caso (da maioria) do FACEBOOK, é um monte de superficialidades, inutilidades, ostentações, felicidade imaginária, mundo perfeito, narcisismo de todos os graus.
    Continue externando opiniões..Elas sempre servem para os outros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s